quinta-feira, 30 de abril de 2015

TAELP I - 2015.1 Aula 1

Em meio a turbulências na organização deste primeiro semestre letivo, iniciamos, enfim, nossa disciplina. Sejam bem-vindxs!!

 A disciplina TAELP I - Tendências Atuais do Ensino de Língua Portuguesa I é parte integerante do currículo do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense (FEBF/UERJ) e tem como foco discussões acerca dos processos de aquisição/desenvolvimento da linguagem, bem como da língua materna, em suas modalidades oral e escrita. Não se trata de pensar na alfabetização direcionada para a Educação Infantil, modalidade central de nossas discussões, mas de pensar /problematizar as formas de aquisição/desenvolvimento da língua neste nível de ensino.

Os objetivos gerais são:

* Conhecer os processos de aquisição da leitura e da escrita nas crianças de 0 a 6 anos. Refletir criticamente sobre as propostas curriculares para o trabalho da língua oral e escrita na Educação Infantil. Construir propostas metodológicas para o trabalho da língua oral e escrita na Educação Infantil

Eixos temáticos:

* A construção do conhecimento sobre a escrita na criança pequena: as contribuições teóricas de Luria e Emília Ferreiro. As concepções sobre a língua subjacentes às práticas docentes: os métodos de alfabetização. 
* O ensino da língua oral e escrita na Educação Infantil: a entrada no mundo da escrita; leitura e escrita de textos;características de um ambiente de cultura escrita; o papel do professor. 
* Propostas pedagógicas para o ensino da língua oral e escrita na Educação Infantil.

Neste nosso primeiro encontro, apresento a seguinte proposta de trabalho:

1. Elaborar um slide, por meio do LibreOffice Impress, do nosso navegador de internet, apresentando-se a partir dos seguintes tópicos: suas aspirações e suas inquietudes em relação à profissão.
2. Leitura das Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil com o objetivo de conhecer seus objetivos, suas intenções e suas perspectivas a partir das políticas púlbicas pensadas para esta modalidade de ensino.
3. Leitura da reportagme: “As primeiras leituras na pré-escola
4. Faça, aqui, seus comentários sobre a correlação entre as principais ideias apresentadas pelas diretrizes e o que indica a reportagem. Não esqueça de assinar, colocando seu nome e sobrenome. Se quiser comentar os posts dxs colegas, fique à vontade. Com certeza, enriquecerá o debate.



28 comentários:

  1. A leitura possibilita as crianças a interagir umas com as outras e com isto despertamos nelas a criatividade a coletividade e o trabalho em equipe.
    O hábito da leitura abre portas para a socialização,articulação de conhecimentos e aprendizagem.
    A socialização da crianças poderá ser exercitada com atividades que façam que ela interage com outras crianças,como: contando histórias, montando um livro e as rodas de leituras que integram todas as crianças.
    Ass: Vivian Cabral

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivian, você apenas comenta a reportagem... Que tal discutir um pouco as finalidades e objetivos das Diretrizes Curriculares para a Educaçaõ Infantil? É importante ter claros quais são os seus objetivos e relacioná-los com a reportagem... Ok:?
      Bjs
      Ivan

      Excluir
    2. Quando o trabalho com as crianças é iniciado devemos proporcionar as atribuições histŕico-culturais (povos indígenas, asiatícos, afrodescendentes e de outros paises da América) apresentamos a para a criança a possibilidade de conhecer outras culturas, a autônimia de identificar as diferenças e respeitar-lás.
      Porém quando não apresentamos a criança as diversidades de leituras multi-culturais não damos a possibiliadade da criança se reconhercer no meio.
      Há alguns estudos que falam que a criança já existe preconceito nas crianças e como elas reagem a isto. Os psicólogos colocam uma boneca negra e outra branca para a criança disser, quem é mas bela e quem a a mas feia e por que acham isto? Apartir disto podemos observar que as práticas em sala de aula são muito importantes pois as crianças iniciam um processo de identidade e conseguem identifica-se no meio e os pequenos tem a possibilidade de conhecer as formas multi-culturais do nosso país.
      Ass:Vivian Cabral

      Excluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Atualmente, pouco se fala em Educação Infantil. Nas creches existentes - que são poucas-, às vezes falta estrutura e recursos necessários como as Diretrizes mostram. Por isso, pôr em prática toda a proposta pedagógica se torna inviável, o que prejudica o processo importante que a Educação Infantil faz com as crianças.
    Um ponto muito interessante nas Diretrizes Curriculares foram as especificações em relaçãoàs crianças indígenas e do campo. Acho importante sabermos que a adequação na educação dessas crianças têm propostas que respeitam quem elas são e respeitam suas origem e ua cultura.
    Me identifiquei muito com reportagem e pude associá-la com as
    Diretrizes, uma vez que a criança tem por direito o acesso ao conhecimento da linguagem, estimulando o lúdico, associando ao social e assegurando uma produção de subjetivdade autônoma.
    Seria ótimo se as Diretrizes se fizessem verdadeiras no nosso país, mas ainda enfrentaremos muitas situações problemáticas em relação à Educaso Infantl.



    Larissa Santos

    ResponderExcluir
  4. Larissa, acho que os comentários estão bem pontuados. Entretanto, faço algumas considerações:
    1. Você diz que que "por em prática toda a proposta pedagógica se torna inviável", mas todas as escolas de educação infantil são assim? Não há escolas com boa estrutura? O que falar, por exemplo, do EDIs (Espaços de Desenvolvimento Infantil) da Prefeitura do Rio de Janeiro? Você conhece dados que tratam do número de creches/escolas de educação infantil em Caxias? Valeria a pena fazer uma pesquisa para fundamentar sua argumentaçaõ.
    2. Quais são, segundo as Diretrizes, efetivamente os objetivos da educação infantil?

    Pense a respeito...

    Bjs
    Ivan

    ResponderExcluir
  5. Na página 30 das Diretrizes Curriculares para a Ed. Infantil, vemos que a faixa etária da criança deve ser respeitada e os conteúdos do Ensino Fundamental não devem ser avançados. Assim como em muitas escolas esta especificidade não é respeitada e crianças muito pequenas são submetidas a conteúdos muito complexos. Vemos também que há escolas que tomam o argumento da Diretriz para não iniciar as crianças em nenhum contato com a leitura.Brincadeiras e nada mais. Como lemos na reportagem, há a necessidade de criar na Educação Infantil um ambiente leitor que influencie sem requerer demais, apenas um facilitador para a futura habilidade a ser adquirida da Leitura e Escrita.

    ResponderExcluir
  6. Sendo as diretrizes curriculares um conjunto de práticas que buscam unir experiências artísticas, culturais e saberes científicos através do contato social tanto de aluno com aluno, quanto de aluno com professor, a fim de contribuir para a construção de identidade. Pode-se dizer que a reportagem está de acordo com o texto, pois a mesma fala sobre a importância de aproximar a criança do mundo letrado, já que a leitura alimenta o imaginário e se incorpora às experiências que eles vivem no dia-a-dia, como brincar, desenhar, e contar histórias.

    ResponderExcluir
  7. Sendo as diretrizes curriculares um conjunto de práticas que buscam unir experiências artísticas, culturais e saberes científicos através do contato social tanto de aluno com aluno, quanto de aluno com professor, a fim de contribuir para a construção de identidade. Pode-se dizer que a reportagem está de acordo com o texto, pois a mesma fala sobre a importância de aproximar a criança do mundo letrado, já que a leitura alimenta o imaginário e se incorpora às experiências que eles vivem no dia-a-dia, como brincar, desenhar, e contar histórias.

    ResponderExcluir
  8. Reconhecer a importância da leitura na Educação Infantil e incentiva a formação do hábito da leitura na idade em que todos os hábitos se formam ,a infância.Muito bem descrito no item 2.2 da DCNEI.No entanto, a leitura infantil , ou até mesmo o ato de ler para uma criança é uma porta para desenvolver a imaginação , sentimentos de forma prazerosa.Abordado de forma fantástica na reportagem .Porém poucas são as crianças que tem este contato com a leitura na educação infantil , ou até mesmo um ambiente familiar alfabetizador,principalmente nas classes pobres.

    ASS: Julia Ramalho

    ResponderExcluir
  9. O cotidiano da criança auxilia ela na construção de sua linguagem e seus conhecimento, de modo geral. O convívio na escola provoca grandes experiências que “amadurecem” seu hábito de leitura, sempre havendo a estimulação.
    Segundo a reportagem, a educação infantil estimula a leitura, salientando que nas diretrizes curriculares, a educação infantil é um direito obrigatório. A estimulação da leitura faz com que o imaginário vire brincadeira, construindo assim uma forma gostosa de ler, a criança toma gosto pela leitura.
    A educação infantil é uma etapa muito importante na infância, é quando a criança começa o letramento, nessa fase ela tem maior capacidade de troca e construção de conhecimento, formando até opiniões.
    No tópico 2.2 diz que a criança é o sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constroi sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experienta, narra, questiona e constroi sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura.
    A reportagem pontua que as crianças que vivem em ambientes alfabetizadores têm a oportunidade de construir esse conhecimento naturalmente ao imitar as ações dos parentes e amigos.
    Os dois trechos estão ligados, a criança pega as informações do meio em que vive e transforma tudo em conhecimento.

    Ass: Gabrielle de Lima

    ResponderExcluir






  10. Tanto a reportagem como as diretrizes curriculares citam a importância do professor como mediador e incentivador, entre a criança, como sujeito histórico, a articulação entre a vivencia do aluno e a construção do conhecimento, visando a formação integral da criança. A comunidade escolar junto com os professores devem elaborar um projeto politico pedagógico estabelecendo metas para a aprendizagem da criança. No que diz respeito as crianças com deficiência a escola deve promover acessibilidade de materias e objetos, como por exemplo, (livros adaptados para crianças cegas, o livro em braile) para crianças com deficiência, afim de fazer a inclusão e a participação dessas crianças.
    É apontado também na reportagem a importância de selecionar leituras para que possa ser trabalhado em sala de aula, ampliando a visão de mundo da criança, propiciar leituras que garanta a discussão, trocas de opiniões sobre notícias, dessa forma é possível trabalhar princípios políticos que trata as diretrizes da educação para a educação infantil.

    Giovana Conceição do Prado

    ResponderExcluir
  11. O objetivo da educação infantil não é alfabetizar, mas se a educação infantil está articulada com o Ensino fundamental como cita as diretrizes, é de suma importância que as crianças vivenciem de alguma forma a leitura, quando digo leitura não estou falando apenas de palavras, também a leitura de figuras, pois a criança está sempre convivendo com imagens, e essa interpretação ajudará no seu desenvolvimento e na sua socialização. Na reportagem está bem esplicíto a importância da leitura na educação infantil e como é benéfico para o aluno que o professor o incentive ao comportamento leitor, e ofereça livros de acordo com sua vivência ou com que está trabalhando no momento. Nas Diretrizes citas os três princípios da educação infantil: Ético, político e estético, que podem ser trabalhados facilmente com leituras, reportagens, figuras etc.

    Ana Paula de Jesus Ferreira

    ResponderExcluir
  12. De acordo com a leitura da reportagem, fica perceptível o quanto a presença da leitura é importante desde a educação infantil. Crianças de 0 a 5 anos de idade não sabem realizar a leitura formal, porém possuem atração por fôrmas e formas que chamem sua atenção. Por isso, mesmo não sabendo ler, folear uma revista se torna interessante. Não porque o que está escrito é importante, mas a fôrma como está escrito chama a sua atenção. Sendo assim, mesmo não entendo nada, a criança automaticamente já vai criando uma intimidade com as letras e as palavras, garantindo assim, uma maior facilidade nas séries futuras. Além disso, a criança é um ser pensante e possui o seu próprio "mundo imaginário". Ao folear um livro ou uma revista, sua capacidade de criação e imaginação aumenta, dando-lhe uma nova forma de se comportar frente às situações do dia a dia. Realizando um link entre a reportagem e as Diretrizes crurriculares, é notório observar que a criança é um sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações
    e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade
    pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende,
    observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos
    sobre a natureza e a sociedade. A leitura, por sua vez, tende a aperfeiçoar e incentivar a criança a praticar o seu próprio conceito e ainda, permite que a criança se desenvolva com mais precisão nas ações: falar e agir.

    Ass: Caroline Pires da Costa.

    ResponderExcluir
  13. A reportagem ao enfatizar a importância da criança entrar em contato com a leitura, ou seja, com a possibilidade de “ler o mundo”, mesmo que não esteja na fase de ser alfabetizada, nos remete ao príncipio estético proposto pela Diretrizes curriculares da Educação Infantil, cujo diz respeito dentre outras coisas, proporcionar a criatividade da criança.
    Nesse contexto a reportagem traz ainda outro ponto que é abordado pelas diretrizes: O respeito a diversidade, ao propor adaptações que devem ser feitas ao lidarmos com alunos com necessidades especiais.
    No conjunto a reportagem aborda o fato de proporcionarmos aos nossos alunos vivenciarem experiências que normalmente na vivenciariam em outros espaços, o que também é proposto pelas diretrizes.
    Angélica Bauer

    ResponderExcluir
  14. A educação infantil tem um papel fundamental no desenvolvimento da criança, ela vai ser o portal de entrada para a criança começar a desenvolver sua percepção de mundo, a experimentar e explorar coisas novas. E é por esse motivo que as Diretrizes curriculares Nacional da Educação infantil tem como objetivo a organização de propostas pedagógicas para a Ed. Infantil, possibilitando que a entrada da criança na vida escolar seja feita da melhor maneira possível para permitir o desenvolvimento da criança.Por esse motivo a leitura é um critério indispensável na educação infantil, é necessário aproximar a criança do mundo da leitura, através de atividades lúdicas que incentivem a imaginação da criança, despertando nela a vontade de criar e de explorar o mundo da leitura e mundo a sua volta.
    A DCNEI. fala também que as propostas pedagógicas devem respeitar os princípios éticos, políticos e estéticos, e através da leitura, quando feita de maneira lúdica onde as crianças terão a oportunidade de explorar o texto,esse princípios poderão ser trabalhados, mostrando a elas a importância da criança, seus valores, e direitos, aproximando o mundo real do mundo da leitura.

    ASS: Ruth Pegoraro

    ResponderExcluir
  15. O autor afirma a importância do incentivo habitos da leitura na criança desde dos primeiros anos , com atividades e propostas diferenciadas que atendam os interesses delas. A criança tem por natureza a curiosidade e o interesse em aprender coisas novas por isso a escola e o professor devem proporcionar um ambiente que estimule a descoberta e a aprendizagem.

    Alguns teoricos da aprendizagem afirmam que a aprendizagem acorre de maneira mais fácil e prezerosa quando se apresenta de maneira lúdica e relacionada a vivencia do aluno. Assim como se observa nos DCNs a criança deve ser exposta a diferentes tipos de linguagem oral ou escrita ,visando seu desenvolvimento integral.

    Por isso o processo de alfabetização não deve ser encarado só como um requisito de avaliação para as próximos níveis de escolarização.Tanto o autor como o DCNs apontam que a leitura e a escrita deve ser encado como um processo continuo e amplo não se trata apenas de decodificação da escrita e sim um processo de interação com codigos sócias ou seja a criança deve reconhecer e dominar os codigos e simbolos que são usados socialmente. TAINARA CRISTINA

    ResponderExcluir
  16. Segundo a leitura e a comparação dos textos puder perceber que as diretrizes vem trabalhando com as experiencias e os saberes que os alunos trazem de sua comunidade que estão inserido, e que através da leitura pode fazer com que crianças comece a se desenvolver a sua intimidade com a leitura.
    Onde existir uma compreensão da "leitura" mão nominal mais sim uma leitura visual em que a crianças, começam a decifra os códigos das escritas e figuras que são apresentados os alunos através das suas relações e interações sociais, baseados nos princípios éticos, políticos e estéticos em que os professores devem buscar trabalhar dentro de sua sala de aula em da leitura não somente no brincar e no lúdico que é o principal objetivo da educação infantil mais modificando para tornar um espaço para a construção de grandes leitores.

    Ass: Douglas Aguiar

    ResponderExcluir
  17. A leitura da reportagem nos faz reforçar as idéias das diretrizes curriculares Nacionais da educação infantil, promovendo e objetivando a leitura mesmo antes da escrita. Articulando os conhecimentos infantis através da linguagem que é realizada pelo professor, despertando o gosto pela leitura e fortalecendo a identidade da criança com o imaginário, a fantasia e a brincadeira, que são características que norteiam as Diretrizes. Deste modo é de grande valia promover a leitura desde cedo com diversidades étnicas seja através da leitura feita por linguagem, escrita ou códigos.

    Ass: Shirley Gama

    ResponderExcluir
  18. Se a criança constrói sua identidade nas interações e práticas cotidianas, produz cultura através da brincadeira, fantasia, narração e outros fatores. A educação infantil pode trabalhar o desenvolvimento da criança em um universo muito mais amplo do que adiantar os conteúdos do ensino fundamental ou limitar a aprendizagem das crianças por não poderem alfabetizar.
    Um exemplo disso está na reportagem apresentada onde a leitura é usada não para ensinar as criançaas a decodificar e sim trabalhar o imagin´ario unido a brincadeira a atividades cotidianas. O estímulo visual, a leitura feita pela própria criança, sua própria interpretação do mundo... Todos esses fatores estimulam e acrescentam culturalmente e intelectualmente, sem que a criança passe por um processo mecânico de alfabetização ainda na educação infantil.

    Ass: Beatriz Guirra Ribeiro

    ResponderExcluir
  19. É dever de todo professor, desde a Educação Infantil, incentivar o desenvolvimento de comportamentos leitores antes mesmo de a turma aprender formalmente a ler. Comentar ou recomendar algum texto, compartilhar a leitura de um livro, confrontar idéias e opiniões sobre notícias e artigos com outras pessoas, imagens, sinais de trânsitos e outro matérias diversos - tudo isso ajuda a estabelecer gostos, reconhecer finalidades dos materiais escritos, identificar-se com o autor ou distanciar-se dele, assumindo uma posição crítica. Para formar futuros leitores, é fundamental que a leitura faça parte da rotina diária. O ideal é que não só a escola disponha uma biblioteca mas também todas as salas tenham espaço reservado para livros, revistas e outros materiais impressos - onde todos possam manusear o material livremente e comecem a entender o sentido que o mundo letrado tem para todas as pessoas já alfabetizadas.
    No mundo todo, crianças que vivem em ambientes alfabetizadores ou seja, aqueles em que as pessoas fazem uso regular do ato de ler e escrever têm a oportunidade de construir esse conhecimento naturalmente ao imitar as ações dos parentes e amigos. Já os que não vivem cercados de letras precisam e muito da ajuda da escola. O fato é que essa ainda não é a realidade do nosso país. Ai sim entra a importância da Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil,com a leitura pode perceber que a Diretrizes vem trabalhando experiências dos saberes dos alunos que trazem de onde estão inseridos, e a criança através da leitura possa desenvolver. Por isso o processo de alfabetização da criança não pode ser visto e colocado de uma forma de avaliação para o próximos níveis de escolarização. O DCNs e também o autor eles apontam a escrita e leitura como um processo continuo e amplo não se tratando apenas da decodificação da escrita mas sim de um processo de interação de códigos sociais.Conclui-se que é notório nota que a criança é um sujeito histórico e de direitos que, nas interações e praticas cotidianas que vivencia, brincar, imaginar, fantasiar, desejar, aprender etc. A leitura por sua vez irá gerar um todo , permitindo que a criança se desenvolva com mais precisão nas ações de: falar e agir.

    Att: Nathália Barbosa Gonçalves

    ResponderExcluir
  20. É dever de todo professor, desde a Educação Infantil, incentivar o desenvolvimento de comportamentos leitores antes mesmo de a turma aprender formalmente a ler. Comentar ou recomendar algum texto, compartilhar a leitura de um livro, confrontar idéias e opiniões sobre notícias e artigos com outras pessoas, imagens, sinais de trânsitos e outro matérias diversos - tudo isso ajuda a estabelecer gostos, reconhecer finalidades dos materiais escritos, identificar-se com o autor ou distanciar-se dele, assumindo uma posição crítica. Para formar futuros leitores, é fundamental que a leitura faça parte da rotina diária. O ideal é que não só a escola disponha uma biblioteca mas também todas as salas tenham espaço reservado para livros, revistas e outros materiais impressos - onde todos possam manusear o material livremente e comecem a entender o sentido que o mundo letrado tem para todas as pessoas já alfabetizadas.
    No mundo todo, crianças que vivem em ambientes alfabetizadores ou seja, aqueles em que as pessoas fazem uso regular do ato de ler e escrever têm a oportunidade de construir esse conhecimento naturalmente ao imitar as ações dos parentes e amigos. Já os que não vivem cercados de letras precisam e muito da ajuda da escola. O fato é que essa ainda não é a realidade do nosso país. Ai sim entra a importância da Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil,com a leitura pode perceber que a Diretrizes vem trabalhando experiências dos saberes dos alunos que trazem de onde estão inseridos, e a criança através da leitura possa desenvolver. Por isso o processo de alfabetização da criança não pode ser visto e colocado de uma forma de avaliação para o próximos níveis de escolarização. O DCNs e também o autor eles apontam a escrita e leitura como um processo continuo e amplo não se tratando apenas da decodificação da escrita mas sim de um processo de interação de códigos sociais.Conclui-se que é notório nota que a criança é um sujeito histórico e de direitos que, nas interações e praticas cotidianas que vivencia, brincar, imaginar, fantasiar, desejar, aprender etc. A leitura por sua vez irá gerar um todo , permitindo que a criança se desenvolva com mais precisão nas ações de: falar e agir.

    Att: Nathália Barbosa Gonçalves

    ResponderExcluir
  21. As diretrizes representam um marco nesse processo histórico de construção das creches e pré-escolas dentro do sistema de ensino, porém sempre passando por diversas reformas. Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais Para Educação Infantil Art. 3º: " O currículo da Educação Infantil é concebido como um conjunto de práticas que buscam articular as experiências dos saberes das crianças com os conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico. De forma a promover o desenvolvimento integral de crianças de 0 à 5 anos de idade." É muito complexo entender alguns eixos de Políticas Públicas relacionados a esse tema, pois como aplicar alguns direitos das crianças se existem muitas falhas no sistema, uma absurda falta de recursos? Como aplicar funções sociopolíticas e pedagógicas. como, oferecer condições e os tais recursos para os alunos poderem usufruir de seus direitos civis, humanos e sociais se os próprios órgãos responsáveis não oferecem opções de progredir no trabalho para que as obrigações do Município com a Educação Infantil saiam da teoria.
    Em relação à reportagem, as primeiras leituras da criança na pré-escola tanto como ouvinte e como "leitora", a imaginação é quem comanda na Educação Infantil. Os professores desde os primeiros momentos da criança em contato com a escola deve motivá-las a leitura. O livro é a peça mais importante da construção e do desenvolvimento do ser humano. O livre abre portas, transforma vidas e cria asas a nossa imaginação.

    Aluna: Viviane Stoffel

    ResponderExcluir
  22. A reportagem nos mostra uma das maneiras de garantirmos alguns dos direitos das crianças antes mesmo de alfabetiza-las. Através da leitura podemos ensina-las a valorizar e respeitar as diferentes culturas com a africana e a indígena, além de reforçar os valores de sua própria cultura. Usando a fantasia e o imaginário da contação de historias é possível passar-lhes alguns princípios como responsabilidade, respeito e solidariedade. E eles poderão construir suas identidades através desses conhecimentos.
    Amanda Cristine

    ResponderExcluir
  23. O que mais me chamou atenção é como a realidade está distante do que está escrito nas "Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil." Para começar, as creches municipais não atendem as demandas necessárias que a sociedade precisa e as que temos, maioria, não tem preparação necessária para que a criança mantenha ao menos um contato coma a literatura. Preparação que eu digo, são tanto os recursos como o desempenho e esforço das professoras e estimuladoras.
    Também é importante falar sobre a autonomia da criança. Particularmente, eu não vejo as Instituições de Educação Infantil incentivando as crianças a serem autônomas , muito pelo contrário. Acho que isso influência muito na hora da criança ter contanto com os livros desde cedo, pois os responsáveis, tanto na escola ou em casa, as privam disso com medo da criança rasgar e rabiscar o livro e por isso acaba acontecendo a proibição. E na maioria das vezes a criança tem essa atitude, porque ela não sabe manusear, pois não foi ensinada ou até mesmo não presenciou um adulto fazendo tal ato.

    ResponderExcluir
  24. Confrontando as informações, da reportagem sobre “As primeiras leituras na pré-escola” com Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil. Constata-se que ambas as partes mencionam a importância do trabalho da interação com a linguagem oral e escrita com as crianças que ainda não dominam a leitura e a escrita, através da exposição de experiências de narrativas, como as histórias contadas pelas professoras, que favorecem o aprendizado e o imaginário das crianças. Entretanto, o texto também nos revela outra realidade, o fato de lamentavelmente, não haver bibliotecas na maioria de nossas escolas, o que sem dúvida representa uma perda para essas crianças, já que as bibliotecas favorecem um ambiente de igualdade de oportunidades educacionais a muitas crianças que ainda não têm acesso a livros, voltados para elas, por esses ainda serem muito caros. Autores consagrados da Literatura Infantil, como: Monteiro Lobato, Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Maria Clara Machado e muitos outros talvez nunca sejam descobertos por elas, principalmente, as crianças das classes menos favorecidas. Daí a importância de nós professores trabalharmos com nossos alunos, essa temática, estimulando nelas o desejo pelo aprendizado da leitura e da escrita e futuros leitores capazes também de narrarem suas próprias histórias.

    ResponderExcluir
  25. Confrontando as informações, da reportagem sobre “As primeiras leituras na pré-escola” com Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil. Constata-se que ambas as partes mencionam a importância do trabalho da interação com a linguagem oral e escrita com as crianças que ainda não dominam a leitura e a escrita, através da exposição de experiências de narrativas, como as histórias contadas pelas professoras, que favorecem o aprendizado e o imaginário das crianças. Entretanto, o texto também nos revela outra realidade, o fato de lamentavelmente, não haver bibliotecas na maioria de nossas escolas, o que sem dúvida representa uma perda para essas crianças, já que as bibliotecas favorecem um ambiente de igualdade de oportunidades educacionais a muitas crianças que ainda não têm acesso a livros, voltados para elas, por esses ainda serem muito caros. Autores consagrados da Literatura Infantil, como: Monteiro Lobato, Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Maria Clara Machado e muitos outros talvez nunca sejam descobertos por elas, principalmente, as crianças das classes menos favorecidas. Daí a importância de nós professores trabalharmos com nossos alunos, essa temática, estimulando nelas o desejo pelo aprendizado da leitura e da escrita e futuros leitores capazes também de narrarem suas próprias histórias.

    Ass: Ana Paula Delduque

    ResponderExcluir

Por favor, deixe aqui seu recado! Deixe seu contato. Assim que puder, retorno.